quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Que nome devo dar?

Meu olhar quer falar
Desse sentimento que te procura
Que faz de tudo para chamar sua atenção
Minha boca quer dizer
Desse pulsar sem ritmo, que mais parece uma escola de samba em meu peito
Meu corpo quer mostrar
Que basta vc estar ao alcance das minhas mãos
Para que todo ele se esqueça de onde está
Tenho gasto todos os verbos na tentativa de explicar
Usado o dicionário, exercitado o vocabulário
Mas mesmo assim, ainda falta...
Por mais que eu tente e me esforce
Nada chega perto da correnteza que me avassala
Que me inunda e me leva para você
Tudo é tão pequeno e relativo
Diante do mundo que é pensar em você
E a graça da vida, descobrir esse amar.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Amor assim...

Mesmo que você não saiba, não pense a respeito, nem acredite
Eu te amo, um amor que nasceu de repente, de um olhar somente
Que cresceu sem muito cuidado, mas que vinga apesar de tudo
Um amor meio fora dos padrões, sem vínculo ou compromisso
Apenas sentimento, necessidade e vontade
Um amor que transcende o esperado e espera desesperado
A presença, a atenção
Talvez seja uma nova forma de amar
Sem começo ou fim
Apenas estar no outro de um modo sutil e permanente
Um amor fadado a durar pela própria contradição de ser
Sem ciúme, sem cobrança
Apenas constância e fé
Um amor inteiro ainda que dividido
Um amor brejeiro
Por si só companheiro, despojado e engajado
Um amor incondicional, quase filial
Se não fosse pelo desejo animal
Um amor bandido, que assalta o coração desprevenido
Que amanhece todo dia querendo mais
Que amadurece na adversidade
E encontra caminhos para seguir adiante
Um amor amigo, divertido e perigoso
Amor platônico, antagônico, egocêntrico
Amor simplesmente, de adolescente
De quem descobre o mundo
E viaja na imaginação
Amor infantil que aceita tudo e acha que é o melhor do mundo
Amor displicente, contente
Amor da gente.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Cadê você??

Voar pela imensidão...
Rio de amores a correr pelas veias do meu existir
Terras nem tão firmes, nem tão áridas
Selvas dos meus pensamentos
Vias abertas para o meu coração
Lua a pratear meus sonhos
Que já não sei em que parte de mim estão
E o Sol que aquece tanto, que por pouco não me faz deserto
Nesse descobrir motivo certo
Pessoas estranhas, que andam perdidas no mundo
Solitárias de casa cheia
Vazias de luz
Construções que separam, que rotulam, que identificam
Conexões que mapeiam, cerceiam, escravizam as emoções
Mundo caótico que parece organizado
E o tempo e a hora que controla tudo
Hora de acordar, de comer, de conversar, de rir, de dormir e tudo de novo
Dia-a-dia rotina, manter o padrão
Letárgico, alucinógeno, desligado
Falsa conexão com a ilusão
É preciso parar!
Sentir
Ouvir a si mesmo
Acordar
Viver
Amar.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Expressão do amor

Misturados, abraçados, presos
Pelo amor e pela paixão
Sussurros no escuro
Riso soltos ao vento
Livres e felizes, esquecidos
Do tempo, de tudo que nos arrasta e nos finca ao chão
Nesse momento somos leves e únicos
Flutuamos como folhas ao vento
Levados para horizontes nem sonhados
Sem medo e sem pressa
Apenas entregues, sem pensamentos
Conceitos ou premissas
Sem palavras, sem verbos
Só risos, carícias e beijos
Alegrias que podem permanecer eternas
Corpos unidos, olhos fixos, sentimentos a flor da pele
Respiração ofegante, coração aos saltos
Cinco sentidos alertas
Silêncio...
Explosão, que nos carrega e nos alucina
Mergulho no nada, no tudo de mim e vc
Recompensa depois da espera
Paz, silêncio e gratidão

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Luz

Apenas sentir o pulsar da vida
Doar a lágrima comovida
O sorriso dolorido
A face entregue

Apenas descobrir a divina presença
A alegria imensa do abraço desinteressado
A leveza dos passos no caminho do amor
O desejo do bem para todas as criaturas

Apenas um momento de lucidez
De concretude infinita
De certeza da existência que vai além
Do corpo que transcende o estar

Apenas a vontade como guia
E a bondade como juíz
O olhar mergulhado na divina presença
No altar das bençãos supremas

Apenas o viver um dia de cada vez
E propagar a verdade de ser
Ser mais que um conjunto de valores
Mais que uma camada de defeitos

Apenas permitir que a luz que te alimenta
Te ascenda e te faça construir
Realidades mágicas para substituir
A dor e a limitação que te aprisionam aqui

Quem sou eu

Minha foto

Nasci e cresci em São Paulo, morei em SBC, SMP, Osasco, Barra Funda e Vila Madalena. Estudei no Heckel Tavares, Architiclino Santos e na FIAM. Trabalhei na AMESP, ITD Trasnportes, Masul S/A, Editora Azul, Prodomo, ECT, Ogilvy & Mather, Ipê Clube, SGS do Brasil, Envolverde e Galáxia Projetos de Comunicação.