segunda-feira, 31 de março de 2008

Conflito de gerações

Minha geração buscava heróis
A sua lutava por liberdade
Minha geração dançava tecno
A sua foi embalada pela bossa nova
Minha geração vestia new age
A sua foi hippie
Minha geração praticava skate e patinação
A sua tocava violão e tinha por lema o amor livre
Minha geração ânsiava super poderes
A sua colocar o poder abaixo
Minha geração nasceu livre e só tinha a imaginação
A sua cresceu presa e sob pressão
Minha geração viveu tudo sem medo
Experimentar era nossa diversão
A sua foi repremida e ousar era punição
Minha geração só enxergou transformação
A sua limitação
Por mais amor que nos una
Sempre haverá conflito de gerações.

sábado, 29 de março de 2008

Amo

Amo enxergar o melhor de mim em vc
Amo essa parte apaixonada pela vida
O espírito de aventura
A curiosidade
Amo o sorriso franco
E a palavra amiga
Amo o desprendimento
E a intensidade
Amo viajar nas suas letras
E descobrir essa minha parte
Há muito esquecida
Essa parte feliz
Que acredita e busca
Amo esses olhos que indagam
Esse ar matreiro
Essa vontade adolescente
Amo simplesmente
Me descobrir inteira
Nessa emoção primeira
Amo a verdade que brota em meu coração
Amo a palavra cantada
Em prosa e poesia
Amo a presença sutil
Que alimenta minha alma a cada dia
Amo o amor que me inunda
E transborda em fonte
Em doce magia
Cada dia
Cada amigo
Cada livro
Amo o amor que vira teatro
Novela e filosofia
Amo de forma abrangente
Intenso e displicente
Amo o amor que me convida
A começar tudo de novo
Sempre.

No sonho


Meu melhor presente
Sua presença absoluta
Sua consciência sem dúvidas
Seu amor sem límites

Uma luz especial
Estar para você
Me enxergar em seus olhos
Não temer perde-los

Me esquecer em seus braços
Me abandonar no seu beijo
Me entregar sem medo
Abrir meus segredos
Tocar seu desejos
Despertar seus sonhos
Colorir seu caminho
Materializar meu corpo
Acreditar nessa força
Que me atrai e me distrai
Do mundo mágico, fugir
Para viver ao seu lado sem partir
A cada manhã soprar suave
A despedida sofrida
Da sua imagem perdida
Para a realidade

Frio

A tarde é fria
Achei que viria
Bastava eu querer
Às horas passaram e vc não veio
Pensei: por anda meu coração?
Está frio e meu amor não volta
Preciso do seu calor
Seus olhos a encontrar os meus
Seus lábios a beber dos meus
Sua carícias a despertar meu corpo
É tarde, te espero...
Vem logo afastar o frio que me congela
A noite chega
O céu nublado, sem estrelas
Como à refletir meu mundo interno
Frio, nublado
Sem vc.

sexta-feira, 28 de março de 2008

Outra vez

Dia marcado, caminho sozinho
Espera...
Encontro furtivo
O quarto, o desejo é fogo que arde
Queima a pele, aquece o coração
A vontade sufoca
Nos beijos a ânsia de matar a sede
Os abraços apertados
Uma tentativa de reter o momento
A entrega suprema é sagrada
O instante é solene
Algo que transcende, presente
Poucas palavras
O corpo não mente
É a saudade que traz de volta
O desejo e a lembrança
De momentos felizes
Antes da despedida
Pequenos instantes...
Seus olhos brilhantes ascendem os meus
Eu quero tudo outra vez
E sempre e mais
Até vc beber toda a vida em mim.

Lembranças passadas

Colinas verdes meu olhar se perde nos prados
Estou só, mas sou um com o mundo que me cirdunda
Minha armadura reluz com o Sol
Minha espada descansa
O vento sopra meus cabelos
Serena minha alma
Aonde nos levará essa vida?
Penso solitário no cume da colina...
São outras épocas
A história cochicha o futuro
Mas não sou capaz de imaginar
Apenas olho e descanso
Esperando o por-do-sol
Hora de voltar
Mergulhar
Daqui a pouco nova vida
Novo tempo
Outro lugar.

quinta-feira, 27 de março de 2008

Reunião

Aflito, contido
Anestesiado, fugido
Com medo, marginalizado
Preso no escritório
Na mesa, no terno
Caneta na mão
Cabeça vazia
Lap top ligado
Tô desconectado
O interfone chama
Reunião, decisão
Meu corpo parado
Meu coração hipnotizado
Caneta na mão
Cabeça vazia
A secretária chama
A sala tá pronta
O papel, a apresentação
Todos sem conexão
Janela fechada
Ar condicionado ligado
Cadê minha mente?
Cadê o assunto?
Caneta na mão
Cabeça vazia...

Pequeno gesto

Um pequeno gesto
Um sorriso
Uma palavra
Lágrimas contidas
Generosidade sentida
Constatação
A verdade é isso
Estranhos amigos
Na fila da estação
É descobrir no olhar do semelhante
Gratidão
A vida engole
E a ausência distância
O ser do aprendizado
O amor da sua missão
Um pequeno gesto
Pra trazer de volta
O espírito atrás da porta
Do corpo que fingia
Saber o que sentia
Um pequeno gesto
Desperta a vontade
Que penetra
E impoe sem demora
A estrada da partida.

Velhice

O tempo rouba a viçosidade
Mas doa sensibilidade
Enruga a pele
Mas germina o coração
Deixa os cabelos grisalhos, ralos
Mas intensifica o brilho dos olhos
Até o instante do adeus quando então se apagarão
O tempo aumenta a quantidade de lágrimas
Mas por enxergar mais generosidade
Aquela vontade do semelhante
De amar incondicionalmente
Basta um pequeno gesto
E voltamos a ser crianças
Coração aos saltos
Esperança
Parece que a velhice
Ascende luzes
Nos veste de gala
De nobres
As pessoas nos tomam pelas mãos
Prestam atenção
Tem vontade de cuidar
Como fazem com as crianças
Aprendendo a caminhar
Envelhecer é como ir deixando as roupas pelo chão
Uma a uma já não tem mais servidão
É nesse momento que descobrimos
Que o maior bem de nosso coração
São as marcas que deixaremos
Naqueles que ficarão.

terça-feira, 25 de março de 2008

Aceitação

Aceita o amor
Aceita como for
Aceita o carinho
O bilhete, a flor
Aceita o olhar
O gesto, a dor
Aceita a vida
O presente
Aceita esse amor
Aceita sem reservas
Sem condições
Aceita simplesmente
Aceita contente
Aceita ser feliz
Aceita a entrega
Aceita sem exigências
Sem reticências
Sem medo
Aceita o sagrado
A revelação
Aceita meu amor
Aquilo que sou

Milene Gonçalves.

Casa

Será que vc não percebe?
Que mudar a pintura da casa
Por birra pessoal
Não muda nada, ela é o que é
Tudo permanece igual
E a beleza da casa
Está além da fachada
E da mobília normal
Além do quintal
Será que vc não percebe?
Que a mudança não tira
O essencial...
Que é isso que faz
Com ela seja bela ao natural
Vc pode mudar a entrada
O muro, o portão
Trocar as janelas
E vestir com tapetes o chão
Mas a beleza dela
Está na alma
E por mais que vc tente
Ela a sustenta
Será que vc não percebe?
Que agindo assim
Perde tempo sem proveito e logo chega o fim
Não tema a casa
Deixa ela ser quem é
Sem portão, sem muro
Com o jardim florido
Um banco branco que convida
A jogar conversa fora e sorrir...
Deixa ela ser o que é
Uma casa simples de amor
Onde todos encontram abrigo
E sem medo pode ser quem é
Deixa a casa do jeito que está
Pare de se incomodar
A fachada é simples
Mas a casa é sagrada.

Buscar

De repente aquela sensação de distância
Mas é quase um objeto
Algo que posso tocar... e quem sabe?
Mudar de lugar
Jogar fora talvez
Ou apenas olhar
Acho que é saudade
Um vazio profundo
Uma noite sem estrelas
É o mar sem o barulho das ondas
Uma vontade sem fim
De encontrar os seus olhos
E de dizer com os meus
Que bom, você está ai!
Você existe
E eu te amo assim...
Inteira, entregue
Crente
De repente esse vazio
E essa vontade
De sair
De mim
De te seguir
Pelo mundo
Ainda que de longe
Talvez sem você saber
Apenas estar
Respirar do seu ar
Te amar em silêncio
Ficar plena
Próxima
Feliz.

Milene Gonçalves.

Vento

Adoro quando o vento me beija
Suave e rápido
Toca minha pele, esvoaça meus cabelos
Leva meus pensamentos
Sopra minha dor
Enche meu corpo de ar
Adoro o vento
Quando toca minha face
E desperta meus sentidos
Me faz lembrar
O que há de melhor em mim
Escondido
Adoro o vento...
Gosto de imaginar
Que não há barreiras para ele
Que entra mesmo sem convite
E tira as coisas do lugar
Adoro o vento
Seja leve como uma brisa
Ou forte como ventania
Me faz lembrar
Quando eu era criança e acreditava que podia voar
E abria os braços bem grande
Como quem abre as asas
Apenas esperando o vento soprar
Doce essa lembrança!
Adoro o vento
Talvez ele não levante meu corpo no ar
Mas a minha imaginação
Sempre fez voar.

Milene Gonçalves.

segunda-feira, 24 de março de 2008

Esse amor

Esse amor é assim antes de tudo livre
Sem cerca, sem muro, sem limite
Sem medo, sem ciúme, sem sofrimento
Esse amor e assim puro na essência
E grande, forte e intenso
Constante, insistente
Esse amor é assim meio dia de Sol bem quente
Meia-noite de Lua bem cheia
É prado florido na primavera e praia deserta no inverno
Esse amor é assim...
Um pouco ficção, um pouco romance
Meio novela
Esse amor é tudo
É mudo
É fato
Esse amor é assim
Semente que germina, planta que cresce, floresce
Folhas que caem, sementes que voltam ao chão e tudo de novo
Esse amor é assim no meu coração.

Milene Gonçalves.

sábado, 22 de março de 2008

Natural

Gota de orvalho
O cristalino dos seus olhos
Raio de Sol
Sua pele dourada
Lua prateada
Suas mechas grisalhas
Barulho do mar
Sua voz de veludo
Farfalhar das folhas
Seu sorriso
Poesia
Estar nos seus braços
Música
Nossos gemidos de prazer
Silêncio
O extase depois do amor

Milene Gonçalves.

quarta-feira, 19 de março de 2008

Inteiro

Seja inteiro mesmo que isso assuste
Esteja inteiro mesmo que isso provoque
Aprenda a distinguir
Entre pensar, sentir e querer
Trabalhe por você

Acredite estar presente faz toda a diferença
Mas a presença é do espírito
Que anima a mente e da personalidade ao corpo
E cor a alma

Se adoecer procure um médico
Mas antes mergulhe fundo em você mesmo
Busque as causas, seja sincero com você mesmo
Ofereça perdão e remédio ao seu coração

Quando receber as bençãos, agradeça
Sem modéstia é seu merecimento
Reconheça sua própria grandesa
E apareça sem medo

Compartilhe sim as alegrias
Pois isso as multiplica
E a prosperidade acontece primeiro no coração
A abundância e a fartura é fruto
Da condição do espírito

Reflita
É sua grande virtude
É o que te diferencia das outras espécies
Te faz grande

Doe
As roupas esquecidas, pouco usadas
Os objetos sem utilidade
Jogue fora, sentimentos ruins
Pensamentos ruins, momentos ruins

Queime tudo na imaginação
Isso funciona eu garanto
Viva tudo
Cada situação, cada riso, cada lágrima

Ame, ame com toda força do seu ser
Com toda coragem da sua alma
Com toda inteligência da sua mente
Com toda força do seu querer

Seja divino
Cristalino, mas resistente,
Firme, mas flexível
Feliz.

Milene Gonçalves.

terça-feira, 18 de março de 2008

Da próxima vez

Da próxima vez, olhe bem nos meus olhos
E quando eu falar preste muita atenção
Se for capaz sinta, no seu coração
A força que emana desse amor em explosão

Da próxima vez, diga tudo o que sente
A verdade somente, diga as palavras
Ou apenas demonstre...
Se for mais facil diga com o corpo

Da próxima vez, esteja inteiro
Mesmo que seja por um pequeno momento
Seja simples e cavalheiro
Cante e sorria

Da próxima vez, me encontre antes
Do futuro e do passado
E fique presente
Me abrace simplesmente

Da próxima vez, me beije no primeiro instante
Me enlace e dance
A música mágica, do ritmo de nossos corações
Sussurre a saudade guardada no meu ouvido

Da próxima vez...

Milene Gonçalves.

Crise existencial

Crise existencial
Algo que vira você do avesso
Te joga na cara seu preço
Te esfola, te expulsa
Sem medo ou culpa
Te julga, te rotula
Te deixa sem chance
Sem folego, sem vontade
Te pisa, te esnoba
Mas no fim...
Te pisca o olho
Te manda um beijo
Te estende a mão
Te tira do chão
Te leva pelo braço
Te abre o coração
Te mostra sua nova face
E sua nova paixão.

Nada

Nada!!!
Nem dor, nem amor
Sem som, sem cor
Nada!!!
Me consola, me amola
Me provoca, me sufoca
Nada!!!
Muda, transforma
Fica, parte
Nada!!!
É vazio completamente
Ou cheio simplesmente
Nada!!!
Nem amizade, nem flerte
Nem saudade, nem desinteresse
Nada!!!
Só o nada inteiro e transparente

segunda-feira, 17 de março de 2008

Sociedade

Minha vida escorre pela janela do mundo
E meu coração num ritmo combinado
Jorra sangue no corpo alimentado
Meu pensamento olha pasmo
O trabalhar incessante da minha mente
Que pensa que ela é gente
E o dia chega depois de cada noite
E o tempo passa mesmo que eu nada faça
E as vezes sinto e muitas vezes mergulho
No nada, no vazio, no escuro
Não sei se procuro ou sou procurada
Se desperto ou sou acordada
Se descubro ou sou descoberta
Apenas mergulho
Agora na luz, no turbilhão, no tudo
E pergunto:
Para onde?
Porque?
Até quando?
O dia-a-dia, a rotina, a morte em vida
A mecânica, a regra, a sociedade
E me apago, me esqueço, desisto
O que é isso?
Quadrado, parado, sem vida
Triste, solitário e perdido
A vida sem sentido
Sem colorido
Sem amigo
O mundo
Tão cheio
Tão feio
Tão pobre
Qual é o meu papel?
Aonde eu risco
Sou desenho ou palavra?
De lápis ou caneta?
Página virada.

Milene Gonçalves.

sexta-feira, 14 de março de 2008

Hoje

Em meio ao corre-corre diário
Só importa o agora roubado
Seu abraço, seu beijo e sua vontade
O toque da sua mão no meu corpo suado

Hoje só importa esse momento
Ânsia do desejo, hora marcada
Hoje só importa janelas fechadas
Da vida lá fora, guardadas.

Hoje só importa a saudade
E a música que nos embala
Só importa as verdades
Que são ditas em segredo
E as confissões em meio a tantos desejos

Hoje só ouço os sussurros
E as estórias inventadas
Hoje só importa você
E as camas desarrumadas...

quarta-feira, 12 de março de 2008

Chaves

Você tem as chaves para abrir todos os meus segredos
Tem meu coração e a estrada dos meus desejos
Você tem a luz que clareia minha escuridão
E a força que rompe minhas barreiras
Você tem a alegria que me contagia
E a segurança de uma montanha
Você tem a melodia que acalma meu espírito
E a serenidade que me alivia
Você me inspira e me faz transbordar
Me alimenta, me faz desabrochar
Você é correnteza que lava meu corpo
É onda que quebra meu gelo
É vento que sopra vida nova
Onde adormecida logo estaria morta.
Você é um pouco de tudo e simples e mudo
Mas é som de trovão que trepida
E eu rompida e extasiada
Viva, plena e apaixonada
Derramo-me em palavras
Nas linhas ornamentadas
Busco no verbo uma forma para te mostrar
Que meu mundo com você é dicionário
É sinônimo e antônimo
É prosa e crônica
É poesia, é sonho, é fantasia
Você é tudo
Meu arco-íris, meu mar
Meu universo a desabrochar
As estrelas que nem posso contar
Você é eterno presente.

Lembrança

Quero reter em minhas mãos essa doce lembrança
Da pressão do teu corpo no meu, sua respiração
Quero aprisionar para sempre o instante em que seus lábios tocaram os meus
E o seu abraço apertado juntou nossos corações num só
Quero agarrar cada minuto da sua voz como se fosse à última música antes do fim
E no brilho do seu olhar quero manter vivo nosso desejo
Quero poder ver nesse espelho o melhor de mim
Quero manter no vácuo o momentum e torná-lo eterno
Para que o universo tendo o modelo possa reprisar infinitamente o nosso amor
Quero você mais e mais para poder cristalizar na minha memória e na minha alma
Essa lembrança de felicidade
Quero até a saudade que me trás você seja lá de onde for
Quero outro beijo, outro afago
E no quarto outra vez me esquecer de quem sou
Quero murmúrios e gemidos
Linguagem do amor que se dá e recebe
Quero a prosa em meio à comida
E começar tudo outra vez da lembrança guardada da última vez.

domingo, 2 de março de 2008

Basta

Basta sua imagem em minha mente
uma palavra escrita, uma vontade solta no vento
Basta a lembrança do seu olhar e a sensação de te beijar
A simples presença do teu ser em qualquer lugar
E distância desaparece, o desejo cresce, o medo foge
O sorriso brota a música toca e a vida acontece
O sonho amanhece, a felicidade existe
Basta saber que o seu pensar entrou em sintonia com o meu
Basta acreditar nesse amor que nasceu sem querer
Basta tocar sua pele na imagem gravada no meu coração
para que tudo aconteça, para que o mundo desperte
e o universo em estrelas puxe o chão dos meus pés
Basta vc ser quem é e deixar eu te amar
para que tudo faça sentido
para dar significado, para ficar multicolorido
Basta o sim do seu olhar
para eu acreditar que sou capaz de despertar no seu espírito
todo o ouro, toda luz, toda a vida que vc é e para qual está.

Milene Gonçalves

sábado, 1 de março de 2008

Montanha

Aqui do alto enxergo melhor
os motivos pequenos que te afastam de mim
a incapacidade humana de ser feliz
sua limitação e sua dor
criada ai na pequenez de seu coração e alimentada na sua ânsia de acertar
Aqui do alto me vejo partir
sem lamentar o que deixei e o que dei, levando apenas o amor que recebi
Aqui do alto o vento é mais forte
e leva com ele qualquer pensamento, sentimento ou medo
Aqui eu tenho asas e posso te alcançar
sem que vc perceba
Aqui do alto
o amor é tão maior e tão melhor
o ar é mais puro e a vida é mais viva
Aqui do alto sou mais livre, mais eu
Sou inteira, sou agora
Aqui do alto tudo é mais...

Quem sou eu

Minha foto

Nasci e cresci em São Paulo, morei em SBC, SMP, Osasco, Barra Funda e Vila Madalena. Estudei no Heckel Tavares, Architiclino Santos e na FIAM. Trabalhei na AMESP, ITD Trasnportes, Masul S/A, Editora Azul, Prodomo, ECT, Ogilvy & Mather, Ipê Clube, SGS do Brasil, Envolverde e Galáxia Projetos de Comunicação.