quarta-feira, 21 de abril de 2010

Bailarina

A poesia é uma bailarina caprichosa, que rodopia no colo do vento...
Graciosa e leve, desenha palavras com seu tutu
Saltitante e desprendida, vai em sua dança formosa
Despertar silenciosa, emoções, risos, alegrias, dores e saudades
A poesia é uma criança feliz, que mesmo quando triste...
Ri achando graça!
Ri em versos, em prosa, em sonetos
Ri de si mesma e ainda faz troça do seu rosto sombrio
A poesia é mulher apaixonada, larga tudo pelo amado
Faz até o que Deus dúvida
Vive cada segundo como se fosse o último e morre se necessário
A poesia é homem cismado,
De ciúme, de medo, de cansaço
Dobra-se melancólica, adormece triste
Acorda entusiasmada...
E descobre na dança, nas letras, na tinta
A vida em si mesma encanada.

Quem sou eu

Minha foto

Nasci e cresci em São Paulo, morei em SBC, SMP, Osasco, Barra Funda e Vila Madalena. Estudei no Heckel Tavares, Architiclino Santos e na FIAM. Trabalhei na AMESP, ITD Trasnportes, Masul S/A, Editora Azul, Prodomo, ECT, Ogilvy & Mather, Ipê Clube, SGS do Brasil, Envolverde e Galáxia Projetos de Comunicação.