sexta-feira, 18 de julho de 2008

Confissões

Talvez te machuque saber que é assim
Mas algo em mim, não sente
Meu corpo responde ao seu
Mas minha mente tortura minha alma
Com julgamentos que tornam distantes
A vontade e o prazer
É mais forte que eu
É quase um adeus
É uma ponte que separa o desejo, do amor
Uma estrada enevoada
Que mantém muito além
Minha essência e minha existência
Sua mão toca meu corpo e ele quer
Mas meu coração está em silêncio
Minha mente observa arrogante
Sua demonstração de amor
Ela pergunta irritada
Porque assim? Porque não a mim?
Sei que não adianta explicar
É demais pra vc
Não é falta de amor
É muito de ser
É uma estranheza diante da vida
Diante do corpo
É um controle que mantém escravo
O desejo e a furia desse animal
Que dizem tem mente
Mas na verdade é a mente que tem corpo.

Quem sou eu

Minha foto

Nasci e cresci em São Paulo, morei em SBC, SMP, Osasco, Barra Funda e Vila Madalena. Estudei no Heckel Tavares, Architiclino Santos e na FIAM. Trabalhei na AMESP, ITD Trasnportes, Masul S/A, Editora Azul, Prodomo, ECT, Ogilvy & Mather, Ipê Clube, SGS do Brasil, Envolverde e Galáxia Projetos de Comunicação.