segunda-feira, 26 de março de 2012

Saudade latente

Ainda sinto saudade, uma falta latente, quase dormente, um que de antes, um porque?
Ainda sinto um misto de espanto, um pranto contido, um sonho perdido...
Ainda sinto parece um instante, uma brisa
Um atalho sumido entre folhagens, vertigens...
Ainda lembro dos risos, das palavras, das estradas
Esvaindo em fumaça, será trapaça?!
Na curva da vida, uma pedra, uma saída
Perdi sua mão, não há retorno, apenas seguir em frente
Corrente, pressa, reviravolta...
Quem sabe a roda te traga de volta,
O mundo gira, a vida gira, o pensamento atraí
Ainda quero, todos os dias eu quero
Todas as horas eu quero,
Todo momento eu quero...
Passou, ficou, continua...

Quem sou eu

Minha foto

Nasci e cresci em São Paulo, morei em SBC, SMP, Osasco, Barra Funda e Vila Madalena. Estudei no Heckel Tavares, Architiclino Santos e na FIAM. Trabalhei na AMESP, ITD Trasnportes, Masul S/A, Editora Azul, Prodomo, ECT, Ogilvy & Mather, Ipê Clube, SGS do Brasil, Envolverde e Galáxia Projetos de Comunicação.