terça-feira, 9 de junho de 2009

Bicho papão

Muitas vezes eu quero ser melhor pessoa
E sentir de modo altruísta e magnânimo
Mas o humano em mim se adianta
E quem muitas vezes se apresenta é o meu pior
Não que faça alguma coisa sobre isto
Na verdade só mesmo eu o percebo
Mas ele está aqui
As vezes um sentimento de ressentimento, talvez pior inveja
Que não ouso confessar a mim mesma no espelho, mas eu vejo
Não das coisas, mas das situações, de circunstâncias que não podem ser mudadas
Meu racional me aponta o dedo e de cara feia me repreende
Mas meu sentimento pequeno ainda que tímido e escondido, está lá
Feito cão sarnento, encolhido e tremendo a esperar que alguém o note
E assim também é o ciúme e talvez uma baixa auto-estima
Sei lá, coisas de pessoas
Fato é que vivo numa vigilia constante, num exercício heróico de fazer valer minhas virtudes
Um dia destes quem sabe eu me supero
E descubro que todas as pequenezas humanas sumiram
Se transmutaram em semeadura de luz.

Quem sou eu

Minha foto

Nasci e cresci em São Paulo, morei em SBC, SMP, Osasco, Barra Funda e Vila Madalena. Estudei no Heckel Tavares, Architiclino Santos e na FIAM. Trabalhei na AMESP, ITD Trasnportes, Masul S/A, Editora Azul, Prodomo, ECT, Ogilvy & Mather, Ipê Clube, SGS do Brasil, Envolverde e Galáxia Projetos de Comunicação.