quinta-feira, 17 de abril de 2008

FIM

Você me perdeu um pouquinho a cada não
A cada justa razão, para deixar de fazer o que era certo
Perdeu a noção do que motivou seus passos
Vestiu seu medo de nobreza
E selou nossa vida pelo julgamento dos outros
Você se escondeu, me escondeu
E mentiu para você mesmo,
E disse: foi para o seu bem
Me perdeu para cada atitude de covarde coragem,
Onde agiu movido única e exclusiva por sua verdade
Não dar respostas... Para cada detalhe
Onde para mim não tinha espaço
Perdeu a oportunidade de mostrar que eu errava
E provou o contrário nas decisões
Sempre tomadas na hora errada
Agora realmente não resta nada
Qual é o homem que vive sem ilusões?
Sem sonhos? Sem planos?
Qual é o valor do amor condicional?

Quem sou eu

Minha foto

Nasci e cresci em São Paulo, morei em SBC, SMP, Osasco, Barra Funda e Vila Madalena. Estudei no Heckel Tavares, Architiclino Santos e na FIAM. Trabalhei na AMESP, ITD Trasnportes, Masul S/A, Editora Azul, Prodomo, ECT, Ogilvy & Mather, Ipê Clube, SGS do Brasil, Envolverde e Galáxia Projetos de Comunicação.