quinta-feira, 17 de abril de 2008

Silêncio na alma

Já não há o que dizer ou fazer
Tudo está sem sentido, meio perdido
No tempo que antes curava, agora machuca
Não dá pra resgatar o que podia ter sido
Nem buscar o começo do fim
Agora não faz diferença, a situação é essa
Por mais que se tente a vida não mente
A dor não se apaga, não se vende
Agora só resta o adeus digno
Um beijo e um abraço amigo
Só fica a certeza daquilo que se deu
Do que foi dito e vivido
Se foi dor, amor ou nada
Cada parte que fique com o seu
E deixe na estrada aquilo que já morreu

Quem sou eu

Minha foto

Nasci e cresci em São Paulo, morei em SBC, SMP, Osasco, Barra Funda e Vila Madalena. Estudei no Heckel Tavares, Architiclino Santos e na FIAM. Trabalhei na AMESP, ITD Trasnportes, Masul S/A, Editora Azul, Prodomo, ECT, Ogilvy & Mather, Ipê Clube, SGS do Brasil, Envolverde e Galáxia Projetos de Comunicação.