quinta-feira, 24 de agosto de 2006

Amor

Amor é o ato de pensar, sentir e agir com pureza e verdade aquilo que temos de melhor e acreditar que este melhor pode transformar qualquer realidade a partir de nós.

Sublime arte de amar e quanto mais cultos nos tornamos muito mais teorias, conceitos e fórmulas inventamos para bem melhor definir o amor.
Entretanto, deixamos nossas teses sobre o sentimento nos possuir a razão, de como ele ”amor” deveria ser, de como deveríamos externá-lo, de como o outro deve externá-lo sem nos dar conta de que assim perdemos verdadeiras oportunidades de vivermos apenas, o amor.
Confundimos nossas verdades, nos magoamos pôr nos sentirmos invadidos, mal compreendidos quando nem mesmo sabemos na pratica se nossa teoria é o melhor do amor.
A arte de amar consiste exatamente nisso em conseguir conciliar sonho e materialidade. Descarto a palavra realidade porque esta é aquilo que queremos ter, ser, ver ou sentir molda-se a nosso contento de acordo com nossas possibilidades.
Entregues a dor chamamos isso de amor, magoamos e somos magoados às vezes esquecendo, outras somatizando vamos deixando pra lá e acreditando que assim tem que ser pôr amor.
Em nossa fantasia o amor é lindo, compreensivo, cheio de virtude e luz.
Mas praticamos exatamente o inverso vivendo o amor de raiva, ciúme, egoísmo, intolerância e apego.
Vivemos culpando o mundo e os outros pôr nossos fracassos íntimos atribuindo falhas nas diversas situações, nos agarrando a modelos imaginários, nos decepcionando com nosso ideal de amor.
Pôr que???
Porque nos sonhos esse ser perfeito (amor) não nos magoa, não nos surpreende negativamente, não comete erros, não traí nossa confiança, nos estimula e incentiva.
Erramos de modo sutil condenando nosso amor à desilusão e morte.
Acreditamos encontrar esse ideal imaginado personificado no outro, então nos sentimos completos e felizes.
Chegam às discussões, atritos naturais baseados em diferenças primordiais de cultura, educação e expectativas, reações opostas para uma única situação e ai, nosso ideal de amor desperta e desvanece.
O amor é um estado de espírito que está em nós e nos outros e pode ser muito próximo do ideal quando duas pessoas cheias de amor se encontram e se entregam, apenas permitindo que o sentimento guie todo o resto de suas vidas.
O amor acontece quando estamos prontos e permitimos. Ele preenche nossas vidas dando sentido a tudo, fazendo valer a pena até mesmo os “sacrifícios”.

Quem sou eu

Minha foto

Nasci e cresci em São Paulo, morei em SBC, SMP, Osasco, Barra Funda e Vila Madalena. Estudei no Heckel Tavares, Architiclino Santos e na FIAM. Trabalhei na AMESP, ITD Trasnportes, Masul S/A, Editora Azul, Prodomo, ECT, Ogilvy & Mather, Ipê Clube, SGS do Brasil, Envolverde e Galáxia Projetos de Comunicação.